Afrodisíacos, feromônios e o Mestre Yoda…

Os primeiros afrodisíacos conhecidos pelos homens datam de aproximadamente 5000 anos, os primeiros indícios foram encontrados no Egito em inscrições que detalhavam o ritual para conseguir atrair uma pessoa do sexo oposto, alias espantem-se em saber que não eram apenas para mulheres, homens também faziam uso de loções a base de ervas. O termo “afrodisíaco” nasceu na Grécia, e deriva do nome da deusa do amor Afrodite, palavra que significa “desejo”.  Os seres humanos vêm buscando durante séculos uma forma de atrair o sexo oposto de forma eficaz, mas será que isso é necessário?

Existe um pouco de mística, mas muito de verdade sobre estas substâncias, na verdade todos os seres liberam feromônios, a ciência define feromônio como uma substância secretada pela pele que pode causar reações fisiológicas ou comportamentais em seres de mesma espécie. É fato comprovado que nada libera mais feromônios que a confiança.

Durante muito tempo eu fui um cara tímido, difícil de acreditar eu sei, mas eu fui, eu transpirava medo, expressão inclusive criada pelo fato de nós demonstrarmos que estamos com medo pelos feromônios que emitimos. Claro que nenhuma garota se sentia impressionada com aquele nerd tímido vindo falar com ela.

Depois de muito tempo de treino pessoal, eu descobri o que me faltava, eu não tinha confiança em mim mesmo, eu já entrava em um lugar me achando o mais feio, o menos arrumado e com certeza o com menos chance de conseguir alguém. Eu descobri através de observação pessoal que as pessoas, não só as mulheres, reparam mais em você quando vêem que você demonstra autoconfiança. Com o passar do tempo comecei a levar isso comigo para todos os lugares, comecei a ver que eu me saia melhor em entrevista de emprego quando demonstrava confiança e me saia melhor nas provas da faculdade.

No fim meus caros eu descobri que o Mestre Yoda estava certo! A força está dentro de nós, minha dica, se espelhe em alguém que você admire e tente chegar lá, eu consegui e acho que vocês também podem.

“O primeiro passo para ganhar a confiança dos outros é confiar em si mesmo” – Philippe Carvalho

Hippies, reclamações e Dia dos Namorados

Os anos 60 foram marcados pela mudança da sociedade e pelas idéias de Paz e Amor, trazidos pelas comunidades Hippies. Os hippies viviam em comunidades e faziam uso exagerado de drogas e psicotrópicos pesados, eram conhecidos pela emancipação sexual, a prática de nudismo e a adoção de religiões como budismo e o hinduísmo. O movimento hippie não deu certo, apesar de ter tido grande participação nos anos 60 e 70 ele terminou com a chegada dos anos 80. Mas porque será que ele terminou? As idéias não eram fortes o suficiente? As pessoas não se convenceram? Não, ele deu errado pois não se vinculava a realidade.

O movimento Hippie não deu certo pois não visava tentar mudar a sociedade, mas sim ignorá-la, o movimento se fechava em comunidades no interior e se distanciava do mundo. Quantas vezes você já não se distanciou da realidade quando o assunto é o coração?

Hoje é segunda-feira, o dia dos namorados ficou para trás, e no sábado você solteiro estava bravo, irritado e alguns até choraram, pois estavam sozinhos, então vemos aquele movimento no Twitter, no Orkut e Facebook, de pessoas xingando o dia dos namorados, chamando de data comercial. E você sabe por que essa sua reclamação não vai dar em nada? Porque ela está longe da realidade, é muito fácil olhar e dizer: “Maldito seja o dia dos namorados!”, mas o que você fez do dia dos namorados do ano passado para este para mudar seu status? Você investiu em algum relacionamento sério? Você se esforçou para que o seu antigo relacionamento desse certo? Ou simplesmente fez igual a este sábado, e ficou apenas reclamando?

Como eu disse no twitter, eu detesto pessoas pessimistas, o pessimismo é uma postura de quem desistiu de lutar.

Todo anos temos o mesmo movimento de solteiros revoltados, no ano passado eu lembrei que postei que um amigo meu escreveu no Nick do MSN: “F*** O dia dos namorados!”, e como eu disse no ano passado: “Os judeus não comemoram o Natal, e nem por isso você vê eles dizendo: F*** o Papai Noel!”.

Então se você passou o sábado reclamando, perdeu uma ótima oportunidade de sair e conhecer alguém, não sinta raiva do dia dos namorados, e de quem namora, lembre-se que ano que vem pode ser você a passar esse dia com alguém, trabalhe para mudar o seu status de solteiro, se tiver problemas, me mande um e-mail, eu tenho sempre alguém para apresentar.

“Sentir raiva da felicidade de alguém é a postura de quem sente raiva de si mesmo e não consegue mudar” – Philippe Carvalho